Imunidade Canina. Como manter/melhorar o sistema dos Lulus!

Atualizado: Set 22

VOLTAR PARA HOME DO BLOG


Os pets são como nós em uma infinidade de coisas. Inclusive em fatores que baixam a imunidade. Cachorros e humanos têm no organismo mecanismos para defesa de agentes prejudiciais, mas às vezes esse sistema pode falhar. Solidão, falta de alimentação saudável, stress, ansiedade...

A imunidade está ligada a resistência que o corpo tem de responder às agressões que sofre diariamente. Quando o sistema imunológico está equilibrado, os riscos de contrair doenças são reduzidos, pois o animal fica menos vulnerável.

Por isso, se você tem notado que seu cão está abatido, aparenta cansaço mais do que o normal e não tem se alimentado bem, fique atento, pois estes são alguns sinais de que seu pet pode estar sofrendo de queda de imunidade.

Mas, como aumentar a imunidade do cão? Vamos às orientações amigos!


Pratique Exercícios Físicos

Manter uma rotina de exercícios físicos é uma das melhores maneiras de fortalecer o sistema imunológico. Exercícios físicos não precisam ser uma tarefa chata e cansativa, pelo contrário, podem e devem ser uma atividade divertida. Temos uma postagem que fala sobre isso aqui.

Além de aumentar a imunidade, promover o gasto de energia e a perda de peso, exercícios físicos são ótimos para aliviar o estresse.


Alimentação

Uma dieta saudável é um dos pontos fundamentais para um sistema imunológico forte.

Atualmente, a alimentação principal de cães é a ração seca. Mas você pode agregar alimentos saudáveis para complementar a saúde do seu pet.

Muita atenção: não se pode dar qualquer alimento. Por favor, se não tiver certeza do que pode ser dado ao pet, se mantenha apenas na ração. Abaixo vamos dar algumas sugestões de alimentos comprovadamente saudáveis.


O que você deve saber e evitar:

1) Nunca dê sementes de frutas ou frutas com a casca. Jamais. Exemplo: maça ou pera: sem casca, sem semente. O caule, sementes e cabo das frutas da família da maçã e da pêra contêm cianeto.

2) Nunca ceda a excessos! Nenhuma fruta, legume ou outro alimento deve ser dado sem limites. Veja esses alimentos como complementos.

3) Como qualquer alimento, especialmente alimentos mais doces (como fruta), apenas alimente seu cachorro com uma pequena quantidade e certifique-se que ele está comendo mais carne do que qualquer outra coisa.

Atum, sardinha e salmão (selvagem, do mar): peixe é extremamente benéfico, pois é rico em ômega 3. Esse ácido graxo é ótimo para a pelagem do seu cão, pois a deixa mais brilhante e saudável. Além disso, o peixe tem muitas proteínas e vitaminas que irão fortalecer o sistema imunitário do animal. A sardinha precisa ser oferecida cozida para nossos pets, conferindo a eles uma boa imunidade por ser rica em ômega 3 e vitamina D (que reduz as chances de doenças autoimunes).


Fígado: tem uma função bem semelhante à da carne branca. O fígado é conhecido como uma grande fonte de vitaminas B, A e K, além de ser uma alta fonte de ferro. Não exagere na quantidade de fígado que oferece ao seu cachorro, pois esse alimento, em grande quantidade, pode ser tóxico. Não dê mais do que 1 grama de fígado fresco por quilo do peso corporal do seu animal – o consumo pode ou não ser diário.


Melão: como muitas outras frutas, o melão está carregado com nutrientes, vitaminas e minerais ótimos. Em particular, o melão possui muita vitamina A, B e C. É também uma boa fonte de potássio.


Aveia: rica em fibras, o que é essencial para o seu cão (principalmente se ele já for velho), pois tende a sofrer com problemas de irregularidade intestinal. Cozinhe a aveia antes de servir.


Batata-doce: Com propriedades antioxidantes, a batata doce possui as vitaminas A, B, C, K e E, além de ter ômega 3, ácidos graxos, magnésio, fósforo, potássio, sódio e zinco, prevenindo inflamações de pele, como as dermatites, e o envelhecimento precoce. No entanto, precisa ser cozida no vapor antes de ser consumida pelo seu cão.


Ovo: é um verdadeiro suporte de proteínas.


Brócolis: propriedades como cálcio, ferro, zinco, vitaminas B1, B2, B6, A e C. Com muito ácido fólico, o brócolis auxilia na boa produção de células brancas do sangue, que possuem ligação direta com a defesa do organismo. Também indicado para cães obesos. Ajuda, também, na pressão arterial em cães idosos.


Beterraba: rica em ferro, ácido fólico, cálcio e nas vitamina A, B1, B2, B6 e C, a beterraba tem ainda a betacianina, que elimina toxinas, promovendo uma “limpeza” geral do organismo, mandando embora qualquer ameaça que estiver presente. Caso seu amigo tenha diabetes, consulte um veterinário. A beterraba possui muito açúcar e pode prejudicar a saúde do cachorro. Sirva cozido e sem tempero. Alguns cachorros gostam de comer brócolis sozinho, outros preferem misturado na ração do dia a dia.


Coco e Óleo de Coco: bom para pets e humanos, o óleo de coco conta com o ácido hialurônico, responsável pela sintetização do ácido graxo chamado monolaurina, que protege contra infecções virais e bacterianas.


Chuchu: se muita gente acha que chuchu não tem gosto de nada, saiba que os cachorros adoram este legume cozido e sem tempero! É muito indicado para cachorros em dieta, porque aumenta a sensação de saciedade, e possui vitaminas e fibras.


Couve-flor: versátil e agradável, a couve-flor também é permitida, se estiver cozida e sem tempero. Possui vitaminas A e B e é fonte de fibras.


Melancia: ideal para os tempos de calor, a melancia é muito refrescante e ajuda a manter seu pet hidratado. Retire a casca e as sementes, e seu cachorro vai adorar!


Pêra (sem semente, sem miolo): rica em vitaminas A e C, a pera também está permitida. Lembre-se de tirar a casca, as sementes e o talo da fruta antes de servir.


Fatias de maçã (sem sementes, sem miolo): são uma boa fonte de vitamina A e C, além de fibras. Altamente indicada para aumentar imunidade e manter a glicemia regulada. Alimentando o seu cão com fatias de maçã, você estará ajudando na limpeza dos dentes caninos, pois a maçã remove os resíduos que ficam nos dentes – lembre-se de retirar as sementes, miolo, casca antes de oferecer a fruta. Ofereça de vez em quando e em ocasiões especiais.


Alga Nori: é rica em clorofila, proteínas, fibras, vitamina C, E e todas as formas de vitaminas B. Além disso, em sua composição, podemos contar com a presença de minerais, como cobre e zinco, excelentes para regular o metabolismo do seu cão.


Cenouras: são de baixa caloria e ricas em fibras e betacaroteno. Além disso, maravilhosas para o desenvolvimento e limpeza dos dentes caninos. Contém vitaminas A e betacaroteno que fazem muito bem para a visão, mucosa e pele.


Banana: são ricas em potássio e fonte energético. Contém fibras prebióticas que ajudam na digestão e sistema de defesa. Cuide a quantidade. Apenas uma banana por dia e não todo dia. Ofereça de vez em quando e em ocasiões especiais.


Ervilhas: são uma grande fonte de potássio, fósforo e vitamina B. Você pode acrescentá-las na dieta do seu cachorro. Prefira ervilha natural, pois a em conserva tem normalmente muito sal.


Abóbora: fonte de betacaroteno, vitamina C, fibras e outros nutrientes, a abóbora é permitida para cachorros! Sirva cozida, tipo purê, ou em pedaços pequenos, sem nenhum tempero e sem casca. No entanto, você não pode exagerar. A abóbora tem um monte de vitamina A e muita vitamina A pode ser tóxica.


Alface e espinafre, couve e acelga: estas plantas poderosas contêm muitas vitaminas A, K e C. O espinafre contém produtos químicos chamados oxalatos, que podem ser prejudiciais aos cachorros, mas seu cachorro teria que comer muito espinafre, então na maioria das vezes, os prós superam os contras. Você também tem que tomar cuidado com alguns destes vegetais, uma vez que eles podem fazer com que os cachorros tenham gases. Ou seja, você só deve alimentar seu cachorro com pequenas quantidades de repolho e couve.



Limpeza e banhos.

Atenção aos banhos! Falamos muito sobre isso e mais uma vez é importante dar atenção na quantidade de banhos do seu Lulu.

Levar o seu pet em uma clínica veterinária ou dar banho em casa irá reduzir a quantidade de bactérias presentes no corpo do seu animal, abrindo espaço para que o sistema imunológico se dedique a combater outras bactérias e parasitas. Mas atenção: uma grande quantidade de banhos pode acabar sendo prejudicial também. Se o seu cão toma banho com bastante frequência, seu sistema imunológico poderá enfraquecer. No verão, mantenho a indicação de um banho a cada 10 a 15 dias. No inverno a cada 20, 25 dias.

Além disso, é importante manter o local onde o seu pet dorme, seus brinquedos e recipientes usados na alimentação sempre limpos. Isto irá reduzir a quantidade de bactérias que o sistema imune terá que lidar.



VOLTAR PARA HOME DO BLOG



Fonte:

https://vcahospitals.com/

https://www.hillspet.com/dog-care

https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-35982010001300007&script=sci_arttext

https://www.thesprucepets.com/

www.petz.com.br/blog/cachorros/alimentacao/

www.portaldodog.com.br/cachorros/adultos-cachorros/alimentacao-adulto/

www.peritoanimal.com.br/

https://centroveterinariopacaembu.com.br/

www.petz.com.br/blog/cachorros/o-que-cachorro-nao-pode-comer/

https://dogtime.com/

https://pets.webmd.com/

https://wp.ufpel.edu.br/nutricaoanimal/files/2011/03/Avan%C3%A7os_caes_gatos.pdf

http://www.uece.br/cienciaanimal/dmdocuments/palestra06_p64_75.pdf

https://ufla.br/noticias/pesquisa/12621-saiba-o-que-e-mito-e-o-que-e-verdade-na-alimentacao-de-caes-e-gatos

Conhece as nossas Redes Sociais?

Postamos diariamente dicas bem legais e importantes, informações sobre a criação e, é claro, nossos filhotes disponíveis!

  • Facebook
  • Instagram

Vamos conversar ?

A decisão de adquirir um cãozinho é muito importante.  É uma nova vida que irá fazer parte da sua! Por isso, convidamos você a conversar conosco :)

Whats 51-982344600
Celular 51-999975488