facebook-domain-verification=roo53y4pqzaug20o6ieiu925kgvs4h
 

Nosso guia sobre alimentação: os permitidos, os moderados e JAMAIS liberados!

Atualizado: Jul 12

VOLTAR PARA HOME DO BLOG


Uma dieta saudável é sinônimo de pet pleno e forte, um dos pontos fundamentais para sistema imunológico forte, desenvolvimento e exuberância do seu pet.

Para tanto, além de um ração de alta qualidade, a palavra chave aqui é Equilíbrio.


Cães entre 2 a 4,5 quilos podem receber de alimentação extra (frutas, legumes, petiscos e demais alimentos fora da ração) de 10g a 15g. E, o ideal é que não seja diariamente. Para cães que tenham alimentações naturais, a nutricionista terá que fazer essa orientação para você para manter o equilíbrio, essa orientação não vale para esses casos.


Torne esses momentos especiais, como se fosse um agrado, um presente em troca de algo certo, de um aprendizado. Não banalize, não dê sem motivo.


Mas, vamos combinar, é uma luta manter alimentação saudável, principalmente quando estamos comendo felizes e aí, nossos bebês pets amados, com aqueles olhares pidões.

É importante resistir, mas existem alternativas saudáveis. Ou seja, não ofereça qualquer coisa ao seu pet, selecione o que é saudável e mantenha o equilíbrio, bom senso.


Abaixo vamos dar algumas sugestões de alimentos, mas reforçamos a todos:


São dicas de alimentos extras. Não substitua a alimentação padrão. Se você optar por ração, o importante é selecionar uma de excelente qualidade para o seu cão. Nela, seu pet terá todas as necessidades nutricionais diária atendidas. Essas dicas são para momentos ocasionais.



O que você deve saber para evitar possíveis transtornos.

1) Nunca dê sementes de frutas ou frutas com a casca. Jamais. Exemplo: maça ou pera: sem casca, sem semente. O caule, sementes e cabo das frutas da família da maçã e da pêra contêm cianeto.

2) Nunca ceda a excessos! Nenhuma fruta, legume ou outro alimento deve ser dado sem limites.

3) Cuidado extra com alimentos mais doces ( algumas frutas e legumes com alto índice glicêmico em virtude da frutose, principalmente as frutas), apenas alimente seu cachorro com uma pequena quantidade se ele não for diabético.

4) Nunca esqueça do equilíbrio: nada em excesso faz bem.


Permitidos:


Atum, sardinha e salmão (selvagem, do mar): peixe é extremamente benéfico, pois é rico em ômega 3 e densos de nutrientes. Suas proteínas costumam ter alto aproveitamento pelo organismo dos pets. Ômegas-3 DHA e EPA são ácidos graxos (gorduras) excelentes, modulam quadros inflamatórios, combatem alergias, protegem a pele, o cérebro e o coração e demais benefícios.

Esse ácido graxo é ótimo para a pelagem do seu cão, pois a deixa mais brilhante e saudável. Além disso, o peixe tem muitas proteínas e vitaminas que irão fortalecer o sistema imunitário do animal.

Se você tem receio do seu pet não gostar do peixe com tudo ou se engasgar com as espinhas, compre somente o filé (ou posta), limpinho, sem as espinhas. Ao optar por servir somente o filé, qualquer espécie de peixe é adequada. Mas é importante ressaltar que somente o salmão selvagem, aquele pescado no oceano, tem ômegas-3. Infelizmente o “salmão” que geralmente encontramos é oriundo de cativeiro que come ração de milho e soja – que não se convertem em ômegas-3 e tampouco no tom róseo da carne.


Ovos: a proteína do ovo é a mais bem absorvida pelo organismo. Sua digestibilidade é altíssima, gerando virtualmente zero resíduo para o rim eliminar. Você pode oferecer o ovo completo. A gema é justamente a parte do ovo mais rica em nutrientes.

O ovo é repleto de vitaminas que favorecem: o bom funcionamento do cérebro, coração e membranas celulares, previnem acúmulo de colesterol e gorduras no fígado, além de barrar elementos tóxicos. Também é excelente para os olhos, antioxidantes que previnem a degeneração macular. Ovo é fonte do mineral selênio (que protege o fígado, ativa a tiroide e fortalece a imunidade) e fornece vitaminas do complexo B. Contém ainda enxofre, que favorece unhas e pelos mais bonitos e fortes – e de crescimento mais rápido!


Fígado: é a fonte mais concentrada de vitamina A (ótimo para olhos, pele e a imunidade), mas também fornece vitaminas C, D, E, K, os minerais selênio, manganês, zinco e ferro, além de conter todas as vitaminas do complexo B, em especial B2, B3, B5, biotina, ácido fólico, B12, colina e inositol. Também é uma proteína de excelente qualidade e ainda apresenta um pouco de ácidos graxos ômegas-3 e 6. Não exagere na quantidade de fígado que oferece ao seu cachorro. Não dê mais do que 1 grama de fígado fresco por quilo do peso corporal do seu animal.


Melão: como muitas outras frutas, o melão está carregado com nutrientes, vitaminas e minerais ótimos. Em particular, o melão possui muita vitamina A, B e C. É também uma boa fonte de potássio.


Aveia: rica em fibras, o que é essencial para o seu cão (principalmente se ele já for velho), pois tende a sofrer com problemas de irregularidade intestinal. Cozinhe a aveia antes de servir.


Batata-doce: Com propriedades antioxidantes, a batata doce possui as vitaminas A, B, C, K e E, além de ter ômega 3, ácidos graxos, magnésio, fósforo, potássio, sódio e zinco, prevenindo inflamações de pele, como as dermatites, e o envelhecimento precoce. No entanto, precisa ser cozida no vapor antes de ser consumida pelo seu cão.


Brócolis: propriedades como cálcio, ferro, zinco, vitaminas B1, B2, B6, A e C. Com muito ácido fólico, o brócolis auxilia na boa produção de células brancas do sangue, que possuem ligação direta com a defesa do organismo. Também indicado para cães obesos. Ajuda, também, na pressão arterial em cães idosos. Alguns cachorros gostam de comer brócolis sozinho, outros preferem misturado na ração do dia a dia.


Beterraba: rica em ferro, ácido fólico, cálcio e nas vitamina A, B1, B2, B6 e C, a beterraba tem ainda a betacianina, que elimina toxinas, promovendo uma “limpeza” geral do organismo, mandando embora qualquer ameaça que estiver presente. Caso seu amigo tenha diabetes, consulte um veterinário. A beterraba possui muito açúcar e pode prejudicar a saúde do cachorro. Sirva cozido e sem tempero.


Coco e Óleo de Coco: bom para pets e humanos, o óleo de coco conta com o ácido hialurônico, responsável pela sintetização do ácido graxo chamado monolaurina, que protege contra infecções virais e bacterianas.


Chuchu: se muita gente acha que chuchu não tem gosto de nada, saiba que os cachorros adoram este legume cozido e sem tempero! É muito indicado para cachorros em dieta, porque aumenta a sensação de saciedade, e possui vitaminas e fibras.


Couve-flor: versátil e agradável, a couve-flor também é permitida, se estiver cozida e sem tempero. Possui vitaminas A e B e é fonte de fibras.


Melancia: ideal para os tempos de calor, a melancia é muito refrescante e ajuda a manter seu pet hidratado. Retire a casca e as sementes, e seu cachorro vai adorar!


Pera: rica em vitaminas A e C, a pera também está permitida. Lembre-se de tirar a casca, as sementes e o talo da fruta antes de servir.


Fatias de maçã (sem sementes): são uma boa fonte de vitamina A e C, além de fibras. Altamente indicada para aumentar imunidade e manter a glicemia regulada. Alimentando o seu cão com fatias de maçã, você estará ajudando na limpeza dos dentes caninos, pois a maçã remove os resíduos que ficam nos dentes – lembre-se de retirar as sementes, miolo, casca antes de oferecer a fruta. As sementes, o cabo e o caule de uma maçã contêm cianeto, que é tóxico tanto para os pets. Além disso, as sementes da maçã tendem a ser fáceis de ingerir. Ofereça de vez em quando e em ocasiões especiais.

Alga Nori: é rica em clorofila, proteínas, fibras, vitamina C, E e todas as formas de vitaminas B. Além disso, em sua composição, podemos contar com a presença de minerais, como cobre e zinco, excelentes para regular o metabolismo do seu cão.


Cenouras: são de baixa caloria e ricas em fibras e betacaroteno. Além disso, maravilhosas para o desenvolvimento e limpeza dos dentes caninos. Contém vitaminas A e betacaroteno que fazem muito bem para a visão, mucosa e pele.


Banana: são ricas em potássio e fonte energético. Contém fibras prebióticas que ajudam na digestão e sistema de defesa. Cuide a quantidade. Apenas uma banana por dia e não todo dia. Ofereça de vez em quando e em ocasiões especiais.


Ervilhas: são uma grande fonte de potássio, fósforo e vitamina B. Você pode acrescentá-las na dieta do seu cachorro. Prefira ervilha natural, pois a em conserva tem normalmente muito sal.


Abóbora: fonte de betacaroteno, vitamina C, fibras e outros nutrientes, a abóbora é permitida para cachorros! Sirva cozida, tipo purê, ou em pedaços pequenos, sem nenhum tempero e sem casca. No entanto, você não pode exagerar. A abóbora tem um monte de vitamina A e muita vitamina A pode ser tóxica.


Agrião, alface, rúcula, acelga, folhas de beterraba, espinafre, folhas de cenoura, salsinha: estas plantas poderosas contêm muitas vitaminas A, K e C e densas em nutrientes. O espinafre é riquíssimo em termos de nutrientes. A dica é oferecê-lo uma vez por semana, cortado fininho (picado ou triturado) e cozido em água com panela descoberta. Depois descarte a água do cozimento do espinafre. Esses cuidados reduzem a concentração de ácido oxálico. Você também tem que tomar cuidado com alguns destes vegetais, uma vez que eles podem fazer com que os cachorros tenham gases. Ou seja, você só deve alimentar seu cachorro com pequenas quantidades de repolho e couves. Associe regularmente folhas picadinhas (cruas ou cozidas, mas sempre bem picadinhas). Se preferir, pode refogá-las em um pouquinho de óleo de coco.




Fique Atento.

Morangos e Amoras : com moderação. Os morangos caem na mesma categoria das amoras, eles são totalmente seguros para o seu cachorro, mas você não pode exagerar. Como a maioria das outras frutas, os morangos contêm uma grande quantidade de fibras, vitaminas e antioxidantes. Tudo isso é bom para os cachorros, embora você deva se lembrar de que a carne deve ser a maior parte da sua dieta. Além disso, você quer se certificar de que você removeu os caules e as folhas, pois elas podem ser perigosas.


Queijo: com moderação. Queijo não é particularmente nocivo para os cachorros e muitos cachorros amam queijo tanto quanto nós humanos. Alguns queijos, como queijo cottage, são até mesmo muito ricos em proteínas. Se você vai dar seu queijo ao cachorro, é melhor ficar longe de queijos com valores super altos de gordura e tomar muito cuidado para que o queijo não contenha quaisquer outros ingredientes prejudiciais.

JAMAIS pense em oferecer, ou permitir que seu pet.

Café: a cafeína é realmente perigosa para o seu pet, já que atua diretamente no seu sistema nervoso. Com isso, pode gerar desde hiperatividade até tremores.


Chocolate: além de também ter cafeína o doce possui teobromina, substância encontrada no cacau que causa intoxicação nos animais. O fígado não metaboliza essa substância, que fica ativa no organismo, podendo intoxicar gravemente e causar taquicardia, espasmos musculares, vômitos e diarreia. O chocolate mais escuro é o mais perigoso e realmente, todos os tipos de chocolate devem ser evitados: doces, biscoitos, brownies, chocolate cozido. Tenha mesmo atenção, a intoxicação é severa – às vezes até letal – com uma dose pequena.



Abacate: a substância maléfica se chama persina. Uma toxina fungicida que vaza da fenda e fica absorvido na polpa. Alguns animais: cavalos, pássaros e coelhos em particular, tendem a ter reações muito piores. Essa toxina não causa mal-estar aos seres humanos, mas é perigosa para os cachorros. Sua ingestão pode causar problemas intestinais, como diarreias e vômitos.

Se seu cachorro come, acidentalmente, um pouco de abacate, você provavelmente não precisa se preocupar; você poderá ver apenas um pouco de vômito e diarreia. Se ela comer muito ou comer a fenda recomendamos que vá ao veterinário. Se você não tiver certeza, leve-a ao veterinário só por segurança.


Massa crua: tanto a massa de bolo quanto a de pães é extremamente perigosa para a saúde do seu cão. Isso porque na levedura há um processo de fermentação alcoólica, e o álcool pode causar uma intoxicação séria no seu pet. A massa crua feita com fermento aumenta e expande em ambientes quentes. Sem tornar isso complicado demais, o estômago de um cachorro é o ambiente perfeito para a massa do pão se expandir. Tendo em conta que algumas massas vão literalmente dobrar de tamanho, isso pode, obviamente, causar grandes problemas, tais como um estômago dilatado, falta de coordenação, ou até mesmo coma e convulsões.


Uvas: também entram na lista de alimentos que o seu cão não pode comer jamais! Elas possuem componentes que são tóxicos para esses animais, causando falência renal. O mesmo vale para uvas passas. Alguns cachorros podem comer uvas sem ter efeitos colaterais significativos (mais uma vez, as razões são desconhecidas). Outros, porém, podem desenvolver doenças graves, com risco de vida. Se seu cachorro ingeriu uvas e teve toxicose, você provavelmente verá alguma combinação de vômitos, fadiga e diarreia, o que significa que você deve levá-lo ao veterinário imediatamente.


Carambola: também podem prejudicar os rins dos cães. Ela apresenta grandes quantidades de ácido oxálico insolúvel, que pode prejudicar os rins com deposição de cálculos (“pedrinhas”) de oxalato de cálcio. Na literatura científica recente há relatos de insuficiência renal aguda em pessoas e em camundongos por ingestão da fruta in natura ou do suco dela. Sintomas associados à toxicidade por carambola: salivação, inapetência, vômitos, diarreia, prostração, fraqueza, tremores, presença de sangue ou cristais na urina e alterações da sede.


Macadâmia, amêndoas e nozes: o consumo dessa noz pode fazer o seu pet sofrer com problemas diversos, como fraqueza muscular, depressão e vômito. Lembrando que às vezes a macadâmia está em biscoitos ou outros alimentos, então é preciso ficar atento aos ingredientes antes de permitir que o seu cachorro coma qualquer coisa.


Cebola: possui dissulfeto de n-propil, que pode reduzir a capacidade do corpo do seu cão de transportar oxigênio pelo corpo. Com isso, pode sofrer com anemia, que por sua vez gera fraqueza, falta de apetite e até desmaio. Em casos mais extremos, é possível até que ele precise de uma transfusão de sangue.

Leite: o leite acaba entrando numa categoria intermediária, já que não é 100% proibido, mas é realmente melhor evitar. Isso porque a intolerância à lactose é bem comum em cachorros, podendo gerar vômitos, problemas de estômago e diarreia.


Alho: a presença de tiossulfato faz com que o alho também se torne um ingrediente proibido a cães, já faz o seu pet ficar anêmico. O caso é mesmo do da cebola, e por isso alimentos com esses temperos devem ficar bem longe do seu animal de estimação.

Na verdade, todos os vegetais da família da cebola (alho, alho-poró e cebolinha) podem causar danos significativos às células vermelhas do sangue de um cachorro, se ele comer bastante deles. Alho, no entanto, “é mais forte, é mais tóxico”. Isto vale para produtos de cebola e alho também (como a mistura de sopa ou cebola em pó), que por vezes podem ser ainda mais perigosos.


Alimentos gordurosos: frituras e gorduras em geral podem gerar pancreatite no seu pet, inflamação no pâncreas que é seríssima! Na dúvida do que pode ou não dar a esse seu grande amigo, opte por rações, que são sempre a opção mais segura.


Pipoca: não é recomendado. Pipoca não é tóxica para cachorros, e comer um pouco de pipoca não vai causar grandes problemas. No entanto, não recomendamos. Milhos não estourados podem causar problemas para os cães. Nós sabemos como é muito fácil acidentalmente comer alguns, a diferença é que nós vamos tirá-las, mas nossos cachorros vão engolir. Consumir o milho não estourado pode perturbar o estômago do seu cachorro e levar a doenças dentárias. Além disso, a pipoca não tem muito valor nutricional.


Alimentos duros e fibrosos: como muitos cachorros, ficam animados quando comem e tendem a engolir muito rápido. Se seu cão não mastigar corretamente, pode ser difícil de engolir e pode causar alguns problemas digestivos desnecessários.


Xilitol, adoçante sacarina: os seres humanos podem lidar com xilitol bem, mas nos cachorros, o xilitol pode causar quedas graves de açúcar no sangue. Os cachorros podem desenvolver desorientação — ou até mesmo ter uma convulsão — após 30 minutos depois da ingestão de xilitol.


Romã: a maioria dos cachorros vai ficar doente se comer romãs. Na maior parte, isso ocorre porque quase toda a parte comestível de uma romã, consiste de sementes (chamadas arilo), que são difíceis de digerir. Groselhas estão na mesma categoria. Os cachorros que comem romã tendem a ter dores de estômago ou vomitar. Na maioria das vezes, se seu cachorro comer uma pequena quantidade de romã, ela vai ficar bem, especialmente se ele vomitar.


Cuidado com a batata comum: Os vegetais da família das solanáceas – batatas, tomate, berinjela, jiló e pimentão – contêm um glicoalcalóide chamado solanina (ou solamina), capaz de deprimir o sistema nervoso central e provocar transtornos gastrintestinais. Mas de todos os citados, a batata inglesa (a comum) é a mais rica nesse composto, cuja casca concentra até 90% da solanina. Para eliminar essa ameaça, armazene a batata longe da luz solar, descarte a casca e cozinhe o tubérculo diretamente na água fervente. Micro-ondas (que você deve evitar por todos esses motivos) e cozimento ao vapor não destroem a solanina. Jamais consuma ou ofereça ao pet batatas cruas (são difíceis de digerir); muito menos germinadas ou com a casca esverdeada, sinais de acúmulo de substâncias tóxicas. Berinjela, pimentão, tomate e jiló contêm teores mais baixos de solanina e em geral podem ser oferecidos com moderação se o pet os tolerar bem.


Açúcar e alimentos açucarados: podem causar obesidade, cáries, diabetes e tornam o paladar dos pets seletivo.


Osso de ave cozido: cozimento altera a estrutura molecular do colágeno do osso, tornando-o mais rígido ao ser partido. Com isso o risco de perfuração gastrintestinal é real. O tratamento por calor também torna o osso mais difícil de digerir, favorecendo obstruções. Osso tem que ser ingerido no seu estado natural, cru.

“Osso” de couro branco: indigestos, esses couros frequentemente são tratados com alvejantes como a soda cáustica para agradar aos nossos olhos.




VOLTAR PARA HOME DO BLOG


Fontes:

https://vcahospitals.com/

https://www.cachorroverde.com.br/toxicos/

https://www.cachorroverde.com.br/caes/dieta-crua-com-ossos-para-caes/

https://www.hillspet.com/dog-care

https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-35982010001300007&script=sci_arttext

https://www.thesprucepets.com/

www.petz.com.br/blog/cachorros/alimentacao/

www.portaldodog.com.br/cachorros/adultos-cachorros/alimentacao-adulto/

www.peritoanimal.com.br/

https://centroveterinariopacaembu.com.br/

www.petz.com.br/blog/cachorros/o-que-cachorro-nao-pode-comer/

https://dogtime.com/

https://pets.webmd.com/

https://wp.ufpel.edu.br/nutricaoanimal/files/2011/03/Avan%C3%A7os_caes_gatos.pdf

http://www.uece.br/cienciaanimal/dmdocuments/palestra06_p64_75.pdf

https://ufla.br/noticias/pesquisa/12621-saiba-o-que-e-mito-e-o-que-e-verdade-na-alimentacao-de-caes-e-gatos

Posts recentes

Ver tudo