facebook-domain-verification=roo53y4pqzaug20o6ieiu925kgvs4h
 

Machos ou Fêmeas?

Atualizado: Jun 26


Você também tem essa dúvida? Em primeiro lugar, existem diversas lendas em relação às “vantagens” de um ou outro gênero. Tenha em mente que antigamente a castração não era uma pratica tão bem aceita quanto é hoje. Por isso, muito do que se ouve ou lê é tendo como parâmetro cães não castrados.

Atualmente a cirurgia de castração é um dos procedimentos mais recomendados pelos veterinários, tanto para machos quanto para fêmeas e isso fez com que essas diferenças/vantagens sejam vistas de outra forma.

1) Fêmeas são menos peludinhas: a verdade é que se a fêmea não for castrada ela terá sim, menor quantidade de pelos que o macho, menor exuberância dos pelos por questões hormonais.

As fêmeas passam por dois ciclos hormonais de cio por ano e mais uma troca sazonal anual. Com essas três quedas de pelos anuais, elas terão um tempo mínimo para recuperar o volume de pelos e dessa forma nunca chegarão à plenitude de exuberância de um macho.

Se a fêmea for castrada, essa diferença não será acentuada dessa forma.


2) Fêmeas perdem mais pelos: se não forem castradas sim, em virtude da mesma explicação acima.

3) Machos demarcam a casa: sim, mas as fêmeas também terão esse comportamento. Elas também demarcam território, mas não chamam atenção por não levantarem a patinha, dessa forma parece que foi um erro do xixi, quando na verdade foi intencional, para demarcar. A questão do xixi está diretamente associada à educação, treinamento, persistência, firmeza e principalmente com a castração.

Importantíssimo: fique atento a idade para a castração dos machos. Se você adiar a castração ele demarcará o território por instinto natural do macho para afastar rivais e atrair fêmeas em período fértil, os benefícios da castração serão reduzidos. Quando a castração é realizada num macho que já demarca território, ele continua a demarcar pelo simples fato já virou hábito, não mais por instinto.

4) Comportamento: sinceramente, muito do que se ouve por aí não tem nenhuma comprovação científica, não se baseiam em estudos, sendo assim, podemos considerar prejulgamentos antigos. Com a castração alguns comportamentos que poderiam ser considerados “diferenças” praticamente se anulam, exemplo: fêmeas quando estão no cio, ou quando estão com filhotes podem ser um pouco temperamentais e demonstrarem algum agressividade, quando castradas isso não acontecerá mais.

Grandes partes dos especialistas concordam que cães de ambos os sexos são ótimos companheiros. Na verdade, o temperamento, a personalidade individual, o treino, a persistência e a forma com que são criados influenciam muito mais no comportamento do que o gênero.


Castração.

Em relação às fêmeas a castração se faz fundamental. Elas ficam menos propensas a terem câncer (neoplasia), e também serve como método de prevenção da piometra, uma das doenças mais graves que podem acontecer com as fêmeas que têm ciclos regulares de cio.


Importante: os tumores podem aparecer se a fêmea for castrada ou não. Não é segurança total a castração. A diferença está no estrogênio funciona “acelerador” para o tumor, ou seja: um que levaria meses para crescer em uma cadela castrada, vai se desenvolver em semanas ou dias numa que não passou pelo procedimento. A fêmea castrada que tem o tumor ganha tempo para ser diagnosticada e tratada, por isso é sempre bom deixar claro que são menores chances, não a prevenção total.


Considere o custo da castração que é significativo mais alto que a castração dos machos e com pós-operatório mais cauteloso.


Em relação aos machos: evita que apareçam tumores nos testículos e minimiza tumores na próstata. No caso dos machos, o cenário é mais fácil e brando do que nas fêmeas. O pós-operatório é rápido e simples. O custo da castração é bem mais acessível.


VOLTAR PARA HOME

Posts recentes

Ver tudo