facebook-domain-verification=roo53y4pqzaug20o6ieiu925kgvs4h
 

Preparando seu filho Pet para receber seu bebê humano.

VOLTAR PARA HOME


Nós sempre falamos, quando você abre o coração para ter um cão na sua casa, é uma vida que está entrando na sua vida... Mas, quando a família fica grávida, é uma nova vida que estará entrando na vida, também do seu pet!


Muitas mudanças à vista né?!


Pois então, quando você leva um bebê para casa, seu cão se depara com um número avassalador de visões, sons e cheiros inéditos. É um clima totalmente novo. Ele poderá achar tudo estranho demais. E, lembre-se: estará mesmo tudo diferente!


Você (agora mãe/pai) alterará drasticamente sua rotina diária e a do seu cão por consequência. E, é certo: ele terá menos tempo e atenção por um bom tempo, principalmente nos primeiros meses. Pode ser um momento difícil para ele, especialmente se ele tiver sido o "filho(a) único" há um tempo.

Primeira dica: tenha empatia pelo momento e prepare-se para ele.


Antes de conversarmos detalhadamente sobre o assunto, apresentando diversos argumentos e sugestões, três dicas de ouro:

1) Deixe seu pet curtir as coisas do bebê. Acostume-o com o carrinho, o quartinho, com os brinquedos. Tente ao máximo envolvê-lo com esses novos objetos dentro de casa.


2) Quando ainda estiver na maternidade, prepare um paninho com o cheirinho do bebê, assim que ele nascer. O importante é alguém levar esse paninho para sua casa e apresentar ao pet, diante de muita festa e carinho, para que ele sinta esse novo cheiro e associe a um momento feliz, se acostumando com isso. Peça para sua obstetra, explique a situação. Esse “cheirinho” será perfeito.


3) Se possível, não entre com seu bebê em casa. Ou seja, peça para seu marido/mãe/irmã/amiga, ou quem estiver com você que entre com o bebê. Entre em casa e dê toda atenção possível ao pet. Transforme esse momento em algo muito legal. Quando ele estiver calmo, depois da ansiedade inicial após a sua chegada, apresente o bebê, com calma, com empatia.


Essas dicas vieram de mães, e mães que amam seus pets e que estavam bem preocupadas para que a harmonia da casa permanecesse com a chegada do bebê. Então, são sugestões de quem de fato passou por isso e deu certo.


A mudança é pra todos!

Para tornar a nova vida tranquila é importante preparar seu pet para a chegada do novo membro da família. Nos meses anteriores ao nascimento do bebê já inicie um “treinamento”, ensinando ao seu cão as habilidades necessárias para ele conseguir interagir com segurança e se adaptar rapidamente às muitas novas experiências e mudanças à frente...


O problema é que muitos cães ficam realmente confusos, ansiosos se tudo acontece de uma hora para outra. O que é um erro da família em conduzir dessa forma. A mudança altera a rotina, todo estilo de vida do pet, como não prepará-lo para essa mudança? Acredite, embora as coisas mudem com a chegada do seu novo bebê, é possível minimizar o estresse do seu cão, gradualmente, acostumando-o a essas alterações.

Preparação – Fase I

Comece a preparação assim que possível, aliás, quanto mais cedo melhor.

Apresente gradualmente ao seu pet as novas experiências, imagens, sons e cheiros que ele encontrará quando você levar o bebê para casa e associe essas coisas novas a recompensas e carinho.

Retire da embalagem as novas coisas do bebê: brinquedos, assentos de carro, caminha, berço, cadeirinhas e balanços, e apresente-as ao seu cão. Deixe ele se acostumar a isso. Em muitos casos eles se “adaptam tanto” que até querem usar hehehe, principalmente o carrinho (e isso será ótimo para que posteriormente vocês faça os passeios juntos). Você também pode colocar itens menores no chão quando estiver por perto para supervisionar seu cão. Deixe-o investigá-los, mas se ele os pegar, imediatamente chame sua atenção para um de seus próprios brinquedos. Deixe que ele cheire, conheça, mas não pegue os brinquedos ou demais itens que você não quer o contato. Lembre-se de que pode ser difícil para seu cão diferenciar as coisas dele e as do bebê, por isso é importante ajudá-lo a começar a aprender agora.


E não adianta ter resistência. As coisas do bebê em algum momento ficarão ao alcance do seu cão, é importante que ele se acostume com o “não” de uma forma não dramática. Simplesmente não é dele. Comece a introduzir esse comando o quanto antes. Funciona. O cão aprende por repetição, eles são inteligentes, só é necessário persistência, paciência e tempo para o aprendizado.


Comece a usar um pouco das loções, xampus, cremes e pós do bebê em si mesmo, para que seu cão os associe a uma pessoa familiar. Tudo é questão de inserir aos poucos os novos cheiros!

Se o seu cão é sensível a ruídos estranhos, ele pode ficar agitado ou assustado quando ouvir o bebê chorar... E seu bebê irá chorar... Imaginem o que seu pet não irá estranhar uma coisa dessas hehehehe!!!

Para ajudá-lo a se acostumar ao som com antecedência, procure uma gravação de ruídos de bebê realistas e toque-a com frequência. Isso não é exagero, funciona. Mais uma vez, acostume ele a cheiros e sons.

Sempre que você reproduzir a gravação, preste bastante atenção ao seu cão, e associe o barulho a momentos de calma, fique tranquilo, faça um carinho de leve, transforme em algo bom, normal, não o deixe estranhar ou latir. Após 5 a 10 minutos, desligue a gravação. Faça isso várias vezes ao dia. Em vez de ficar com medo ou chateado ao ouvir sons de bebês, ele aprenderá a esperar por eles como um momento normal!

Se você tentar esse procedimento e achar que seu cão parece realmente ter medo dos ruídos, talvez seja necessário começar com o volume muito baixo. Quando ele se acostuma ao som em um nível baixo, você pode aumentar gradualmente. Agregue, em casos mais complicados, algum petisco toda vez que ele ouvir a gravação do bebê chorar, desde que fique na caminha, sem agitação.


Esse preparo pode parecer trabalhoso. Mas, é a sua família, um esforço antecipado renderá momentos tão lindos, tão especiais. Vale tanto.


Preparação – Fase II

Um a dois meses antes da chegada do bebê: preveja as alterações que você fará na rotina diária do seu cão e comece a fazer essas alterações. É fato, quando o bebê chegar na sua casa, alguns dos privilégios dele provavelmente mudarão. Será mais fácil para ele aceitar essas alterações se você instituir novas regras com antecedência.

Do tipo: se você puder prever como o seu horário mudará quando o bebê chegar, comece uma transição lenta para esse novo horário agora. Se você planeja tirar uma soneca à tarde, quando o bebê estiver dormindo, comece a tirar alguns cochilos à tarde. Se você planeja passear com seu cachorro em diferentes horários do dia, mude gradualmente para a nova rotina. Toda mudança precisa acontecer antes do bebê chegar.

Em casos complicados, se você realmente não conseguir... não sofra com isso, são fases. Considere contratar um passeador de cães para assumir a responsabilidade de exercitá-lo, pelo menos nas primeiras semanas após a chegada do bebê. Entreviste os passeadores de cães e escolha um agora, com tempo e planejamento para que você faça uma boa escolha. Para ajudar seu cão a se acostumar a sair de casa sem você, peça ao passeador que o leve a passear ocasionalmente, antes de começarem os passeios para valer. É uma questão de planejamento. Existem ótimos profissionais para isso. Basta você se preparar.


Outra ideia: se o seu pet for amigável e gosta de brincar com outros cães, considere levá-lo a uma creche uma ou duas vezes por semana após a chegada do bebê. Pesquise as opções agora e faça com que seu cão passe algum tempo na creche para que ele se acostume com essa nova atividade. Veja pelo lado comparativo, muitos bebês/crianças também irão para a creche quando os pais retornam ao trabalho. Visite com antecedência, faça ambientação no lugar, confirme que seu pet realmente se adaptou. Organizando com antecedência, você terá uma ótima opção se as coisas apertarem.

Como alternativa, se você tem uma rede de apoio próxima, é levar seu cão na casas de amigos ou familiares uma ou duas vezes por semana. Será um momento legal, até porque o seu pet conhecerá as pessoas e o ambiente.


MUITO IMPORTANTE: resista à tentação de dar ao seu cão atenção extra nas semanas anteriores à data de nascimento do bebê. Isso só o deixará mais decepcionado quando o bebê chegar e a atenção diminuir. Em vez disso, altere os momentos de carinho e brincadeira com seu cão para que ele não espere atenção em nenhum momento específico do dia. Isso será necessário, você não terá o controle dos horários após a chegado do bebê, quando for possível você dará atenção ao seu filho pet.

Tenha essa estratégia de rotina em mente, organize como você se sentirá bem em fazer. Faça novas regras agora, desde já, e siga com elas.




Preparação – Fase III

Aqui as dicas serão para as famílias com pets mais agitados e que não costumam “obedecer”, sem treinamento. Pode ser que você tenha que dedicar um tempo maior para realmente começar a ensinar seu pet comandos verbais simples, mas eficientes, ou então, solicitar ajuda de um profissional para que os comandos sejam ensinados.

Se o seu cachorro está acostumado a dormir na cama com você e, nesse novo momento você deseja que isso mude, adquira uma cama confortável para o seu pet para que ele possa aprender a usar e se acostume. Acredite, ele pode adorar a caminha e a nova realidade.

Da mesma forma, se você quiser que seu cão durma em outro quarto quando o bebê chegar estabeleça esse hábito com bastante antecedência e observe como ele se comporta.

Nem toda mudança é ruim, o seu pet pode conhecer novas rotinas e hábitos e adorar. Tudo é questão de introduzir a mudança e observar.


Coloque a caminha no local que você gostaria que seu pet ficasse e de vez em quando, deixe algumas guloseimas na cama, quando ele não estiver olhando. Mais tarde, ele pode descobri-las por conta própria. Isso pode ajudar a acelerar o costume da mudança.

Algumas pessoas preferem que o pet espere do lado de fora do quarto do bebê, a menos que seja convidado a entrar. A maneira mais fácil de fazer isso é ensinando seu cão a ficar sentado junto à porta. Quando você não estiver treinando, mantenha a porta do bebê fechada ou instale um cercadinho alto na porta para que seu cão se acostume com o acesso restrito.


Se você não quiser que seu cachorro pule em cima de você quando estiver carregando seu bebê ou segurando-o no colo, comece a ensiná-lo agora a não fazer isso.


Se você planeja passar um tempo no quarto do bebê enquanto está amamentando ou embalando-o para dormir, ensine seu cão a passar um tempo tranquilo no quarto junto com você. Enquanto você se senta em uma cadeira, seu cachorro pode relaxar na caminha dele. Tente oferecer um novo osso para mastigar ou um brinquedo para ele se entreter e manter o silêncio. Essa prática o fará feliz por estar perto do bebê e de você e o recompensará por ficar em seu lugar durante o tempo quieto.


Para alguns cães, um berço pode parecer o lugar perfeito para uma sonequinha! Se o seu cão for ágil o suficiente para subir no berço do bebê, é importante que ele saiba agora que não pode fazer isso, se assim você desejar. Se ele se aproximar do berço observe:

- Se não tentar subir, elogie-o calorosamente.

- Se o seu cão tentar pular para colocar as patas dianteiras no berço, bata palmas imediatamente e diga um comando de saída em um tom firme de voz. Depois, leve-a para longe do berço.

- Se você achar que ele pode tentar se infiltrar no berço quando você não estiver olhando, mantenha a porta fechada ou use uma cerquinha para bloquear a porta. Importante não criar o hábito.


Pode ser muito difícil cuidar de uma criança se o seu cão insistir em ficar sob os pés. Para tornar as coisas mais fáceis e seguras para todos, você pode ensiná-la a se afastar quando pedir.


Para isso tudo citado acima, ter um bom controle verbal do seu cão pode realmente ajudar quando se trata de fazer malabarismos com as necessidades e os cuidados do bebê. Sente-se, fique, espere, e se acalme: essas habilidades podem ajudar seu cão a aprender a controlar seus impulsos e serão úteis em muitas situações. Por exemplo, você pode ensinar seu cão a se “deitar e ficar” sempre que estiver sentado na cadeira de amamentação. “Deixe e solte” esses dois comandos podem ajudar você a ensinar seu cão a deixar as coisas do bebê com o bebê.


Com o bebê em casa :)

As primeiras impressões são importantes. Seu cão deve ter experiências agradáveis ​​com seu bebê desde o início.

Ao levar seu bebê para casa do hospital, entre primeiro sem o bebê para que seu cão possa expressar sua empolgação habitual ao ver você. Depois de um ou dois minutos de euforia, peça a alguém traga o bebê. Isso é importante, mesmo que você não tenha motivos para acreditar que ela reagirá mal. Também peça para prepararem alguns pequenos petiscos para serem usados ​​nos primeiros momentos do seu cão com o bebê.


É crucial manter a calma e relaxar quando você e o bebê estiverem em casa. Se você parecer nervosa(o) seu cão perceberá seus sentimentos e também ficará nervoso, pensando que o embrulho em seus braços é algo para se preocupar. Em vez disso, fale com o seu cão com uma voz suave, mas alegre, enquanto entra na casa. Peça para alguém distraí-lo com muitos petiscos, para que a atenção dele seja dividida entre eles, seu bebê e as outras pessoas presentes. Elogie seu cão por qualquer interesse calmo no bebê. Faça isso ser um grande momento feliz. EVITE repreender o seu cão.

Lembre-se, você quer que ele associe o bebê a coisas boas, não ao seu descontentamento. E mais, é você que tem todas as condições de fazer esse momento ser agradável, o seu cão seguirá seu ritmo.



Cheirar o bebê: alguns cães ficam nervosos com os bebês ou até com um pouco de medo deles e se esforçam para evitar o contato. Se o seu cão parecer um pouco preocupado com o novo membro da sua família, você pode ensiná-lo a tocar o bebê com o nariz. Este exercício lhe dará uma maneira segura de interagir com ele e se acostumar com seu perfume, aparência e sons - sem ser forçado a ficar perto por mais de alguns segundos de cada vez.


Conhecendo o bebê: você pode optar por permitir que seu cão conheça o bebê imediatamente ou esperar até mais tarde, orquestre o evento com cuidado, de acordo com seu ritmo e bem estar. Escolha uma sala silenciosa e sente-se com o bebê nos braços. Peça para alguém que traga seu cão e leve-o para a sala. Mais uma vez, evite comportamentos nervosos ou agitados. Converse com seu cachorro com uma voz calma e feliz enquanto o convida a se aproximar. Convença-o de que conhecer e interagir com seu novo amigo é divertido, não estressante.

Se a linguagem corporal do seu cão estiver relaxada e amigável, peça que alguém acompanhe o seu pet em sua direção e ao bebê, mantendo a atenção aos movimentos. Se ele quiser, deixe seu cachorro cheirar o bebê enquanto você continua falando baixinho com ele. Elogie-o calorosamente pela investigação gentil. Seja calmo e feliz... e tenha os petiscos por perto para agradar ainda mais.

Mesmo que seu cão pareça curioso e calmo, você pode ficar um pouco nervoso ao deixá-lo se aproximar do bebê. Isso é normal para novos pais e perfeitamente razoável, compreensível e tudo mais. Inicialmente, você pode se sentir mais confortável, permitindo apenas breves interações. Deixe seu cão cheirar os pés do bebê por alguns segundos. Depois, interrompa gentilmente, elogiando-a e pedindo que ele se sente ou se deite. Recompense-a por obedecer com algumas delícias pequenas e saborosas.

Dica: você pode ficar tentado a dar muita atenção ao seu pet quando o bebê estiver dormindo. Na verdade, é muito melhor fazer o oposto. Tente dar muita atenção ao seu cão quando o bebê estiver presente. Ensine ao seu pet que, quando o bebê está por perto, ele recebe petiscos, carinho, brincadeiras e tudo o que ele gosta. Quando você alimenta o bebê, também pode alimentar o seu cão. Quando você passear com o cachorro, faça o possível para levar o bebê. Essa estratégia, embora exija alguma multitarefa habilidosa de sua parte, ensina ao seu cão uma lição valiosa. Ele aprenderá a amar quando o bebê estiver acordado e ativo, porque é quando as coisas boas acontecem para ele.


Obviamente, prestar atenção ao bebê e ao seu cão ao mesmo tempo é mais fácil se houver dois adultos em casa, na missão. Mas, quando isso não for possível, você ainda poderá realizar muita coisa segurando seu bebê no colo enquanto fala com seu cachorro e o acaricia, dá petiscos ou joga uma bola para ele. É um esforço grande, mas recompensador. Também ensine ao seu cão que, quando o bebê não está por perto, as coisas ficam muito chatas. Seu cão pode estar com você, mas tente ignorá-lo na maioria das vezes. Isso fará com que ele espere ansiosamente o tempo do bebê voltar à cena.




Evoluindo com o bebê em casa.

Uma coisa maravilhosa sobre os bebês é que eles começam a não fazer muito e se tornam mais ativos à medida que se desenvolvem. Essas mudanças lentas ajudarão seu cão a se acostumar com o mais novo membro da família gradualmente.


Alguns cães nunca viram um humano engatinhar, então pode ser uma experiência intimidadora, especialmente porque engatinhar coloca a pessoa no nível dos olhos. Portanto, é uma boa ideia ajudar seu cão a se acostumar a engatinhar antes que seu bebê comece a se tornar “móvel” hehe.


Conseguir isso é fácil! Rasteje em direção ao seu cachorro. Assim que ele levantar a cabeça para olhar para você, dê carinho e petiscos. Todos na família devem participar deste exercício. Quando seu cão estiver completamente confortável com este novo jogo, incorpore o bebê também. Lembre-se de abraçar o seu cão e dê petiscos para que ele continue a desfrutar deste novo comportamento humano!

Sempre que possível, recompense seu cão por se comportar educadamente quando estiver perto do bebê. Incentivar o comportamento calmo e controlado agora, será recompensado nas próximas semanas e meses.

E, muito importante, se você tiver dificuldade com tudo isso, novamente reforçamos a ideia de contratar um profissional particular para mostrar como ensinar o básico em sua própria casa. Um cão bem treinado tornará seus primeiros dias, semanas, meses e até anos com seu filho muito mais fáceis!

Ensinar seu cão a ir embora quando você pedir permitirá que você controle seus movimentos e interações com seu bebê. Por exemplo, você pode dizer ao seu cão para se afastar do bebê se ele estiver se arrastando na direção dele e ele parecer desconfortável ou com medo da aproximação do bebê. Muitos cães não percebem que se afastar é uma opção! Se ele descobrir que pode simplesmente se afastar do bebê quando o mesmo se aproximar a deixar, ele nunca se sentirá preso em uma situação estressante - e não será forçado a expressar sua ansiedade rosnando ou latindo.


Outro ponto IMPORTANTÍSSIMO: mesmo que seu cão adore crianças, ele pode arranhar acidentalmente a pele delicada do seu bebê. Isso pode acontecer, fique atento as brincadeiras e interações. Quando seu filho tiver idade suficiente para entender a lição, você o ensinará a lidar com seu cão com cuidado. No entanto, os bebês costumam agarrar os pêlos, orelhas, caudas e qualquer outra coisa ao seu alcance e puxam mesmo! Para preparar seu cão, acostume-o aos tipos de toques que você pode esperar do seu bebê, incluindo agarrar, cutucar, empurrar e puxar. Se você ensinar a seu cão que coisas boas acontecem quando ele é cutucado, ele será capaz de tolerar melhor as interações potencialmente desconfortáveis ​​com o bebê. Mas lembre-se, é tudo sem querer. Tenha empatia.


Puxe delicadamente a orelha e depois faça um carinho. Agarre delicadamente a pele ou belisque-a e, em seguida, faça um carinho. Com uma voz alegre, diga algo como "Oh, o que foi isso?" toda vez que você cutucar, puxar ou beliscar seu cão. Mais tarde, quando o bebê fizer essas coisas, você poderá dizer a mesma frase. Pratique esses exercícios de manuseio de quatro a oito vezes por dia e use os petiscos que ele ame para melhorar ainda mais o aprendizado. (As sessões de treinamento podem ser curtas - cerca de cinco minutos). Ao iniciar seu treinamento, seja muito gentil. Com o tempo, faça seus toques mais intensos, simulando mesmo os puxões que seu bebê dará.


Mais um ponto importante, bebês e crianças pequenas não têm ideia de que os cães às vezes ficam chateados quando as pessoas se aproximam da comida, ossos ou brinquedos. Mesmo que seu cão nunca tenha se comportado de maneira agressiva quando alguém se aproxima de uma de suas coisas favoritas, é uma boa ideia se preparar para situações desagradáveis.

Antes que seu bebê comece a engatinhar, comece a ensinar a seu cão que quando alguém se aproxima dele e de alguma coisa valiosa pra ele, coisas maravilhosas acontecem hehehehe.

- Quando seu cachorro estiver jantando, caminhe até ele e jogue algo muito mais delicioso em sua tigela, como um pequeno pedaço de frango ou petisco.

- Depois de uma ou duas semanas de repetição diária durante cada refeição, faça o mesmo, mas coloque a mão na tigela do seu cão e coloque a guloseima bem em cima da ração.

- Na semana seguinte, comece a se abaixar para alimentar seu cão com o delicioso petisco da sua mão, bem ao lado da tigela.

- Depois de mais uma semana, aproxime-se do seu cão, dê um tapinha nas costas dele e depois abaixe-se para alimentá-lo. Em seguida, aproxime-se e, em seguida, abaixe-se para tocar a borda da tigela do seu cão com a mão vazia. Depois de retirar a mão, abaixe-se novamente para lhe dar o maravilhoso tratamento.

- Na próxima semana, aproxime-se, alcance a tigela do seu cachorro com a mão vazia e toque a ração dele com os dedos.

- Por fim, aproxime-se, abaixe-se e tire a tigela do seu cachorro. Em seguida, alimente-o com um petisco, coloque um petisco extra em seu prato e devolva-o para que ela possa terminar sua refeição.

Continue fazendo esse exercício periodicamente, às vezes se aproximando para dar tapinhas em seu cachorro enquanto ele come, às vezes colocando as mãos no prato e às vezes levando o prato para longe. Sempre dê um carinho logo depois.

Eventualmente, seu cachorro começará a vê-lo chegando e felizmente se afastará da tigela, para que você possa tirá-lo e, ao mesmo tempo, possa retribuir com um brinde fabuloso! Nesse ponto, peça a outros adultos que também pratiquem com seu cão. Quando ele descobrir que depois que alguém que se aproxima da comida, dará a ele uma recompensa, será muito menos provável que ele reaja de forma agressiva se seu filho involuntariamente se aproximar durante uma refeição.

E pode ser que você nem precise de todo esse preparo, pode ser que seja tudo mais simples. Você conhece seu pet e saberá como fazer e em qual intensidade de treinamento fazer.


Você pode fazer exercícios semelhantes quando seu cão estiver mastigando ossos ou brincando com seus brinquedos. Quanto mais boas experiências o seu cão tiver quando as pessoas se aproximam dele e de suas coisas favoritas, melhor.


O que não fazer? Nunca force o seu cão a interagir com seu bebê.


Se o seu cão responder agressivamente ao bebê: os cães que mostram agressão a um novo bebê em casa costumam fazê-lo porque não foram bem socializados com as crianças e as consideram assustadoras. Alguns cães não temem bebês, mas se tornam agressivos com a aproximação aos brinquedos, ossinhos, comida. Bebês e crianças pequenas não conseguem entender que devem deixar as coisas do cachorro em paz. Eles também podem ter dificuldade em reconhecer os sinais de alerta de um cão ou achar divertido o rosnar e latir. O fracasso de uma criança em atender a esses avisos pode ter consequências desastrosas


O que fazer? Se você tentou de tudo e não está funcionando, procure ajuda. Se o seu cão mostrar um comportamento agressivo ao redor do bebê em qualquer situação - ou se você acha que ele pode - entre em contato imediatamente com um especialista em comportamento animal.


Você deve corrigir seu cão por comportamento agressivo? Obviamente, é importante que seu cão aprenda a inibir seu comportamento agressivo em relação ao seu filho. No entanto, a melhor maneira de lidar com um cão agressivo é não puni-lo verbal ou fisicamente. O castigo pode sair pela culatra porque ensina ao seu cão que coisas ruins acontecem quando ele está presente - o que é mais um motivo para não gostar dele. Se seu filho se tornar um sinal de punição, ele poderá ter medo ou se ressentir ainda mais dele. Em particular, é importante evitar punir seu cão por rosnar, latir, mostrar dentes ou dar avisos agressivos quando ele estiver chateado. Se você tiver a sorte de ter um cachorro que o avisa antes de morder, nunca repreenda ou castigue-o por esse comportamento. Se você inibir o sistema de alerta, ele pode desaparecer - e você pode não ter como saber quando seu cão está se sentindo desconfortável ou agressivo Enquanto seu cão rosna, você tem a oportunidade de remover seu cão ou seu filho de situações ruins.

A maneira mais eficaz e humana de resolver problemas de agressão é se concentrar em mudar as motivações do seu cão para se comportar de forma agressiva. Se o seu cão é agressivo com seu bebê, você pode melhorar o comportamento dele ensinando-o a gostar de estar perto dele. Novamente, é crucial procurar orientação profissional. Um behaviorista ou treinador qualificado pode chegar a sua casa, avaliar minuciosamente sua situação e orientá-lo em um plano sistemático e seguro de modificação de comportamento.



Ensine seu filho a respeitar seu cão

À medida que seu filho se desenvolver, ensine-o a respeitar o corpo, as zonas de segurança e os pertences do seu cão. Supervisione sempre as interações para que você possa guiar seu filho enquanto ele aprende a se comunicar e a brincar com seu cão de forma adequada. Desempenhar um papel ativo no desenvolvimento de um relacionamento entre seu filho e seu cão beneficiará a todos.

- Mostre a seu filho como é uma carícia gentil e agradável.

- Ensine-o a alimentar e coçar seu cachorro em seus lugares favoritos.

- Explique que bater, chutar ou beliscar cães, assim como andar, provocá-los e assustá-los intencionalmente, NÃO estão bem.

- Ensine seu filho a brincar com seu cão, como busca, cabo de guerra e esconde-esconde. Jogos de treinamento e truques também são muito divertidos para crianças e cães.

- Quando o seu filho der dicas ao seu cão, não se esqueça de apoiá-lo. Por exemplo, se seu filho diz "sente-se" e seu cão obedece, ajude-o a elogiá-la como louca e dê-lhe um presente para dar a ela! Se ele disser "sente-se" e ela hesitar, repita imediatamente "sente-se". Se você fizer isso de forma consistente, seu cão aprenderá que toda vez que seu filho solicitar um comportamento, você também o fará - para que ela também responda ao seu filho e receba uma recompensa mais rapidamente.


Ensine seu cão a gostar de outras crianças.

Seu filho acabará desejando ter amigos para brincar, por isso é importante que ele se sinta confortável com crianças desconhecidas.

Se você não tem amigos com crianças, leve seu cão a passeios frequentes em áreas bem populosas. Quando você encontrar crianças amigáveis ​​que gostariam de interagir com seu cão, aproveite a situação. Treine-os com cuidado para garantir boas experiências. Sempre dê-lhes guloseimas para alimentar ou jogar o seu cão. Se o seu cão é ótimo com seu próprio filho, mas nervoso, medroso ou agressivo com outras crianças, procure assistência de um profissional qualificado. Não espere até o seu filho crescer e o comportamento do seu cão se tornar um problema.


Se você tem um cão mais velho, com deficiência ou ferido

Cães idosos, cães com dor crônica e cães com déficits sensoriais, como surdez ou cegueira, podem ter problemas para se adaptar à vida de uma criança devido à imprevisibilidade e ao caos que as crianças inevitavelmente trazem. Se você sabe que seu cão pode não reagir bem ao seu filho por esses motivos, tome medidas agora para evitar que problemas ocorram.

Verifique se o seu cão é avaliado minuciosamente anualmente pelo veterinário, para que você esteja ciente de quaisquer condições médicas que possam afetar o comportamento dela com seu filho.

Como outros animais, os cães podem se tornar agressivos quando tocados se forem machucados. Lembre-se sempre disso - mesmo que você tenha um vínculo estreito com seu cão e ele nunca tenha mostrado agressão a você ou a outros adultos. Não cometa o erro de pensar que, porque seu cão é de boa índole e ama você, ele se abstém de morder seu filho.


Se ele for idoso ou frágil, talvez seja necessário manter seu cão em uma área segura quando o bebê começar a engatinhar. Embora seja necessário um esforço extra de sua parte, é melhor separar seu cão e seu filho do que colocá-los em uma situação de risco.


A verdade é que quando existe amor na relação, empenho, esforço, tudo indica que o resultado final será de uma convivência maravilhosa.

Temos inúmeros exemplos, como as fotos que ilustram essa matéria.

Confie, tenha paciência, calma, se planeje e tenha amor.




Fonte:

https://www.aspca.org/pet-care/dog-care

https://br.pinterest.com/