Castração: “quais benefícios e riscos e qual a melhor idade”?

Atualizado: há 5 dias


Como já falamos no outro post sobre o assunto, enquanto boa parte das pessoas defende ferozmente a castração, outras defendem o contrário. Ambos os lados com argumentos relevantes e que devem ser respeitados, e está tudo bem! Aqui, no nosso blog, sempre buscamos apresentar todos os argumentos e emitimos a nossa opinião. A principal "missão" do nosso site é que você tenha uma boa noção do assunto como um todo para poder questionar os especialistas no assunto, o veterinário que atende seu cão e podem dar o suporte necessário para sua decisão. Quanto mais informação e opiniões você colher, sua decisão virá com mais tranquilidade.


Bom, vamos começar.


Ter um pet implica em grandes responsabilidades, que com certeza vão além da alimentação, passeios e brincadeiras. Ter um pet é maior! É ser guardião de uma vida, razão para que se tenha precaução, discernimento nas análises e escolhas e avaliação de todos os aspectos decorrentes da decisão de ter um vida sob sua responsabilidade.

E, nesse sentido, zelar pelo bem estar do seu pet não se limita a escolher uma excelente alimentação, ficar atento as datas das vacinas e vermífugos... dar atenção, amor e carinho, nesse combo todo, ainda temos que pensar na famosa castração!! Castrar ou não castrar? Eis a questão.

Em uma lógica semelhante ao do organismo humano, quanto maior o tempo de vida do pet maior o risco de uma multiplicação celular perder o controle e virar um câncer. E quando se fala em castração muitas dúvidas começam a surgir na cabeça da família: “quais benefícios e riscos e qual a melhor idade”?


Nossa opinião, após muito pesquisar sobre o assunto, comparando estudos em animais castrados e não castrados e entendendo a opinião de defensores das diferentes correntes sobre o assunto, concluímos que a esterilização, independente da idade e método adotado para realização, pode trazer riscos e benefícios para os animais submetidos ao procedimento, mas os benefícios relacionados a saúde ainda são imensamente maiores.


Quando fazer a castração? Castração precoce x Castração convencional


No Brasil, as castrações são geralmente realizadas aos seis meses de idade, que é quando se completa a primeira fase da maturidade. É claro que alguns fatores podem influenciar na puberdade dos animais, como por exemplo, a estação do ano, taxa de crescimento, ambiente, nutrição.


A castração precoce é a realização da retirada das gônadas em pets com idade precoce, pré-púbere, entre 6 a 8 semanas de vida, ou seja, antes do primeiro cio, ou então, no caso dos machos, antes do sexto mês de vida. Aqui, por mais que tenhamos total empatia por quem decide não castrar, aconselhamos as famílias a realizar para as fêmeas castração após o primeiro cio e antes do segundo. Sendo sempre indicado antes dos dois anos. E para machos aos seis meses.


Embora seja mais comum ouvirmos entre os médicos veterinários de que a idade ideal para a castração é a partir dos seis meses de idade, sabe-se que não há provas científicas na literatura confirmando tal informação. Não existe uma orientação única, são pontos de vista baseados na condução do profissional médico. A castração antes da puberdade, já vem sendo empregada nos Estados Unidos há cerca de trinta anos, por exemplo.


Estudos mostram que esta prática tem obtidos resultados positivos e até já apresenta vantagens frente à castração no tempo convencional, pelo menor índice de complicações cirúrgicas e pós-cirúrgicas e oferece uma melhor e mais rápida recuperação cirúrgica por possuírem menor índice de gordura corporal e metabolismo acelerado. Como ponto a observar, a questão do quadro de hipoglicemia é importante de ser observado. Filhotes possuem menor reserva de glicogênio no fígado e músculos, não sendo possível permanecer em jejum por mais de 4 horas. Fundamental observar esse ponto na castração precoce.


Pois então, a questão a ser avaliada é que estudos foram acontecendo e o que até então, se preconizava como nova orientação mudou um pouco após trabalhos publicados nos últimos cinco anos citando consequências indesejadas relacionadas com a castração precoce, como tendência à incontinência urinária na fase adulta, alterações comportamentais e favorecimento à obesidade.


OU SEJA, como tudo na vida, vantagens e desvantagens são comuns, na verdade bemmm normal. Por isso que ainda não existe um consenso na questão da idade. Sempre que somos consultados, nossa orientação é pela castração após o primeiro cio, e machos após os seis meses. MAS, é uma decisão sua, junto com a sua família e seu médico-veterinário da sua confiança.

São escolhas delicadas, aos nossos clientes sempre comentamos que temos pessoas de alta formação, estudiosos renomados, cujo trabalho admiramos muito e não são adeptos a castração. Temos total empatia com as dúvidas e inseguranças que a família divide conosco.


Seguimos, com mais alguns argumentos referentes as complicações e benefícios da castração.

Incontinência Urinária: mesmo não havendo comprovação de que este problema esteja ligado à castração, observou-se que a incontinência estrógeno-dependente é aumentada em cadelas castradas e pode aumentar o quadro da patologia quando mais jovens são castradas.


Obesidade: um estudo realizado no Reino Unido demonstrou que cadelas castradas seriam duas vezes mais propensas a ganhar peso, que as não castradas, mesmo consumindo quantidades de alimentos iguais. Já Rand (2008) diz que o ganho de peso independe da época da castração, contudo, ela está de fato relacionada com a queda de metabolismo dos animais castrados, mas que pode ser controlada com a dieta e atividade física. O estudo deixa claro que não encontrou consequência obrigatória da castração com obesidade e que a condição pode ser facilmente controlada com dieta saudável e exercícios.


Vulva Infantil: outro ponto não provado, mas que está em observação é a efeito colateral da castração precoce com a vulga infantil, apresentando crescimento insatisfatório, com dificuldade de micção.


Retardo no Crescimento: a maturidade do esqueleto está diretamente relacionada a puberdade e sofre ação direta dos hormônios sexuais. A longo prazo pode acarretar problemas de crescimento e sistema locomotor. A castração precoce atrasa o fechamento das epífises ósseas, estendendo o crescimento, principalmente ulnar e radial, fazendo com que o animal permaneça por mais tempo em fase de crescimento, tornando alguns animais inclusive maiores do que seriam se não fossem castrados. Isso é muito mais observado em cães que em gatos (RAND, 2008).

Em cadelas de grande porte e gigantes podem ocorrer até alterações de desenvolvimento ósseo. "Por esses motivos, temos indicado a castração entre o primeiro e segundo clico estral (cio)".


Cistite: estudos demonstram que há uma relação com a idade de castração e cistite, principalmente em cadelas castradas precocemente . De acordo com Rand (2008) este é o problema mais comum encontrado em animais castrados.


Agora os benefícios!

Neoplasias e tumores: a redução de neoplasias testicular e ovarianas é um dos benefícios da castração, independente do tempo em que ela ocorra (RAND, 2008). A castração não somente previne de filhotes, mas reduz o risco de desordens reprodutivas e neoplasias de mamas. Nas fêmeas a incidência de de tumores aumenta com a expectativa de vida e nesse sentido a castração é uma alívio imenso a isso. Segundo estudos, em cachorras com maior propensão, a probabilidade de desenvolver um câncer de mama fica entre 45 e 50%. Muitas vezes, o problema é silencioso, causando sintomas como perda do apetite e prostração evidentes em estágios avançados. Nos animais, a identificação de possíveis tumores mamários ocorre também pela apalpação ao longo das duas cadeias mamárias. Uma boa dica para o dia a dia é, ao fazer carinho no animal, verificar a existência de eventuais nódulos.

A orientação para as fêmeas é a castração após o primeiro cio e antes do segundo. Sendo sempre indicado antes dos dois anos.



Piometra: é uma patologia que acomete apenas fêmeas não castradas e está relacionada a constante estimulação do endométrio a hormônios. Estudos demonstram que 23% (vinte e três por cento) de todas as cadelas fêmeas desenvolveram piometra antes dos três anos de idade. Mas alerta que raramente cadelas castradas podem também desenvolver piometra de coto, relacionada à remoção incompleta de útero.



Resumo desse texto imenso: existe risco, podem haver efeitos colaterais, cada corpo é um corpo e não existe nada que irá valer a todos. Pesquise, questione, seja curioso e avalie o que é, pra você e para sua família o correto. Os benefícios da castração são inquestionáveis, assim como existe suplementos, alimentação e meios para justificar a não castração. A decisão é sua :)



VOLTAR PARA HOME DO BLOG


Fontes:

http://www.usp.br/aun/antigo/exibir.php?id=981

https://caocerto.wordpress.com/2013/06/30/comportamento-de-caes-em-grupo-e-linguagem-canina/amp/

https://vcahospitals.com/

http://blog.emporiodaspatas.com.br

http://www.vetsurgeryonline.com/

https://www.thesprucepets.com/

https://www.patasdacasa.com.br/

MACEDO, J.B. Castração Precoce em Pequenos Animais: Prós e Contras. TCC (Pós Graduação em Clínica Medica e Cirúrgica de Pequenos Animais, da Universidade Castelo Branco), Goiânia, 2011

SANTOS, F. C.; CORRÊA, T.P.; RAHAL, S. C.; CRESPILHO, A. M.; LOPES, M. D.; MAPRIM, M. J. Complicações da Esterilização Cirúrgica de Fêmeas Caninas e Felinas – Revisão da Literatura. Vet. E Zootec. V. 16, n.1, mar.,p.8-18, 2009.

RAND, J.; CORINE, H. Report on the Validity and Usefulness of Early Age Desenxing in Dogs and Cats.Department Of Primary Industries & Fisheries.Brisbrane – Australia, 2008. SANBORN, L. J. Long-Term Health Risks and Benefits Associated with Spay/Neuter in Dogs. Animal Siences –RutgersUniversity. New Brunswick, NJ, 2007





0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
002.png